22 setembro 2014

Agora eu brilho como um vagalume!

Oi, gente!
Como estão?
Eu passei essa semana bem, consegui passar em todas as matérias da faculdade e estou me dando uma semana de férias porque mereço.

Eu quis fazer esse post para mostrar minha mais nova habilidade adquirida:  LED's!
Há anos eu queria aprender a montar pequenos circuitos para Led's porque tenho vários cosplays com detalhes que brilham e gostaria de fazê-los de forma apropriada.
Eu já tinha decidido fazer isso este ano, mas nenhum cosplay particularmente brilhante apareceu.
Ai na faculdade precisei fazer um projetinho para uma matéria incrivelmente chata, e tive a chance de trabalhar com os led's.
Eu tinha muita insegurança sobre eles, mas depois de ver vários vídeos e tutoriais, além de falar com algumas pessoas aqui da cidade que já usavam luzes nos cosplays, eu me animei e percebi que não poderia ser tão difícil de fazer.
E realmente não foi.
Eu não pretendo fazer um tutorial sobre leds no momento, porque eu acho que tem alguns muito melhores na internet e sou uma eletricista bem ruim para ficar dando dicas sobre isso.
Enfim, quero compartilhar meu brilho com vocês.


Eu trabalhei com leds individuais porque são os leds que vou precisar nos meus cosplays.
Tenho um ou outro que vou usar uma mangueira, mas ainda estou vendo isso direitinho, porque teria que colocá-los no interior do acessório e isso está com cara de que vai me dar uma dor de cabeça dos infernos XD
Como bem disse o Anderson, cosplayer aqui de São Carlos, os leds individuais são chatinhos de montar o circuito mas são muito fáceis de alimentar.
Eu realmente me surpreendi em como é só colocar um fio e uma bateria baratinha, que essas coisinhas brilham como se não houvesse amanhã.
Achei feliz e quero colocar em tudo o que eu tiver direito na vida.
Essa é uma foto durante o processo do meu prejetinho na faculdade. Essa coisa fofa que parece um bolo bonito foi feito pela minha colega de quarto cheia dos talentos: a Bia com os talentos da Nicole, nossa colega de turma.



Eu precisei usar solda nesse circuito. Era algo que nunca tinha usado mas foi tranquilo, porque tinha todos os equipamentos em casa graças ao meu pai e seu quartinho cheio de ferramentas doidas.
Eu fiquei soldando mil fios durante o processo achei até divertido.
A minha primeira solda ficou super gorda e irregular, mas eu fotografei por motivos de registros históricos haushaush



E pra terminar quero postar essa minha foto suada, sensual, com cabelo bagunçado e braço bronzeado trabalhando de soldadora.
Gente, se eu consegui fazer essas coisas sozinha, QUALQUER um nesse mundo consegue. Não desanime porque eu sou completamente tapada com essas coisas de elétrica e consegui.
Todos nós conseguimos.


Enfim, o post era isso.
Espero ter mais dessas experiências doidas pra contar em breve, e espero que tenham tido uma boa semana, vou tirar esses dias para terminar projetos e tentar adiantar ao máximo alguns que vou usar no final do ano.
Um beijo para todos!

14 setembro 2014

Não tão novos projetos.

Oi, gente!
Como passaram a semana?
Eu terei uma última prova demoniacamente complicada, então estou programando esse post pois não terei tempo de escrevê-lo no domingo.

Quero compartilhar com vocês as últimas personagens lyndas que adicionei na minha lista recentemente.
Eu já deveria ter parado de adicionar personagens nessa lista, mas depois de 6 anos no cosplay, eu reparei que isso é impossível.
A gente SEMPRE acha alguém que quer fazer. Seja de uma série nova ou antiga.
Meus personagens novos vão me dar uma série de dores de cabeça, especialmente porque troquei de grau e vou precisar comprar lentes novas.
Acredito que precise de um par de azuis, um par de verdes e um par de vermelhas.
Ainda estou pensando se precisarei de um par de brancas que cobrem a pupila.
Vou decidir mais para a frente.
Meus projetos para o ano que vem são bem caros, então talvez eu diminua o ritmo de cosplays em 2015.

Estou postando apenas aquelas que tenho absolutamente certeza que farei, porque muitas vezes eu coloco personagens aqui e acabo desistindo depois de um tempo.
LeBlanc é uma personagem que farei sem sombra de dúvidas em 2015.
Eu fiquei bastante chateada com a Riot quando nerfaram a LeBlanc porque ela ficou realmente chatinha de jogar.
Eu tenho um ódio mortal sobre isso porque a nua da LeBlanc cheirosa desaparecedora teve os atributos cortadas e a Orianna continua lá apelona da mid lane. Nerfar a mulér robótica ninguém quis, né?


Desde que Bayonetta foi lançado eu fiquei e decidindo se faria cosplay dela ou não.
Eu me tornei uma viciada em Bayonetta quando chegou no Brasil e desde então fico com o pé atrás porque tinha algo na Bayonetta que não me agradava e não conseguia identificar o que seria.
Quando anunciara Bayonetta 2 e ela voltou com o cabelo curtinho eu fiquei totalmente apaixonada.
Percebi que me incomodava com aquele cabelo sinistro do primeiro jogo, mas achei ela totalmente fofa com o cabelo curto e quero fazê-la a todo custo.
Achei toda a roupa muito lindinha e estou esperando ansiosamente pelo jogo.
Eu confesso que gostava mais das pistolas no vermelho, mas Bayonetta consegue ser linda maravilhosa usando qualquer cor.


Eliza é uma das personagens que decidi fazer antes de todas.
Eu estou com planos de fazê-la desde que ela foi lançada para Tekken Revolution no começo do ano.
Como não amar essa criança, né?
Ela é vampira, ela é linda, ela é engraçada, ela é uma personagem porreta. Enfim, ela é tudo o que eu gosto em uma personagem.
Vou fazer e se reclamar vou fazer todas as versões porque esses chifres merecem um led dentro deles pra brilharem.


E acho que não comentei que na minha enquete sobre qual cosplay deveria usar na Comic Con Experience a vencedora foi a Scarlet Witch.
Aqui no blog a Lady Loki  venceu, mas na minha página do Facebook a Feiticeira venceu em disparado por uns 15 votos de vantagem.
Então será ela que usarei nesse evento.


Eu tenho alguns pequenos projetos paralelos em andamento para alguns grupos de cosplay que me inseri, mas vou deixar esses para outro post porque eles merecem isso.
Estou reformando alguns cosplays também que logo terei um novo ensaio.
Gostaram das personagens que escolhi?

08 setembro 2014

Somos todas Genis - Prêmio Cláudia

Oi, gente!
Como passaram a semana?
Eu passei estudando mil e estou programando essa postagem porque estou gastando todo o meu final de semana estudando para passar em Neurobiologia.
Eu nunca na minha vida pensei que odiaria tanto uma matéria quanto eu odeio essa.

Bem, eu sempre digo que esse blog é minha segunda casa, é meu diário e eu registro aqui TUDO o que considero importante na minha vida.
Se não vem para o blog, ou é um segredo que quero manter só para mim ou é algo que não teve grande significado.
E hoje eu quero contar algo de extrema significância para mim.

Quem me acompanha apenas pelo blog ou pelo Facebook pode não saber, mas quem me conhece sabe que por trás das minhas fotos de cosplay eu tenho uma vida doida.
Eu nunca fiz do cosplay uma prioridade para mim, sempre foi um hobby, algo que faço nos meus tempos livres porque gosto, eu não vivo disso, eu tenho outras coisas mais importantes na minha vida.
É claro que o cosplay é uma parte que gosto muito e eu me orgulho como cosplayer, mas eu me orgulho INFINITAMENTE mais de tudo o que sou fora do cosplay e já disse isso antes.
Uma das partes que eu mais me orgulho são as minhas lutas.
Eu sou uma pessoa muito combativa, e digo que cresci muito nos últimos 5 anos na minha consciência social.
Eu me lembro que quando saí da USP eu não estava muito feliz com quem eu era como pessoa, como cidadã.
Nos anos seguintes eu dediquei à, além de seguir com meus estudos, estudar as pessoas ao meu redor e o lugar onde eu vivia.
Eu achava totalmente incoerente falar sobre coisas que eu não havia vivenciado ou estudado.
Durante esses anos eu me encontrei no feminismo, no meu posicionamento político e principalmente na questão das liberdades individuais.
Me orgulho MUITO da pessoa que sou hoje e de todos os movimentos que defendo.
Mesmo sendo muito nervosa e ansiosa, eu aprendi que eu não consigo ficar parada vendo as coisas ao meu redor fluindo de um jeito que eu não concordo.
Se ver as coisas ruins me faz mal, não fazer nada para mudá-las me deixa pior.


Quando eu vim para a Unesp eu me dediquei ao Movimento Estudantil, porque não aceitava as condições deprimentes que nós alunos éramos submetidos.
Eu me dediquei à projetos de extensão com crianças de hospital porque eu queria conhecer a realidade das pessoas que dependiam de tratamentos intensivos no SUS, como as famílias lidavam com essa situação delicada, eu visitei idosos internados porque eu queria saber como eles se sentiam e quem eles eram no fim da vida.
Eu aprendi tanto com tudo isso, foi uma experiência que nunca vou me arrepender ou esquecer.
Eu continuo no Centro Acadêmico do meu instituto e tive o prazer de estar presente quando o primeiro Coletivo Feminista de Botucatu foi criado.



O Coletivo que participo é o Coletivo Genis, foi fundado há poucos meses.
Nós passamos por momentos muito complicados esse ano, acolhendo vítimas de abusos dentro do nosso campus.
Montamos o Coletivo para fazermos rodas de conversas sobre gênero e acabamos acolhendo vítimas de estupro no meio universitários, amigas de turmas violentadas em festas, alunas de primeiro ano abusadas por uma hierarquia decrépita.
Foi um grande desafio para todas nós, ter que bater de frente com o meio universitário que fazia de tudo para abafar os casos, alunos incrédulos que acusavam vítimas de estarem inventando um caso de violência tão grave.
Foram momentos horríveis esse ano para todas nós no Coletivo Genis. Tentamos dar o máximo possível por todas as vítimas, dedicamos nossas horas para ajudá-las, escondê-las e apoiá-las em tudo o que fosse possível.
Eu me lembro que em vários momentos nos desesperamos, pensando que não conseguiríamos fazer nada, que não seguiríamos em frente, mas nós conseguimos.


As Genis continuam firme depois de tudo o que passamos.
Para mim o Genis se tornou um escudo dentro da faculdade, que protegia as mulheres violentadas que chegavam até nós.
Eu que sempre fui tão briguenta, me vi publicamente exposta, defendendo o anonimato das vítimas, confrontando veteranos que tentavam nos calar, apontando dedo na cara de professores que não acreditavam em nós.
Eu tenho muito orgulho de tudo o que fiz com o Genis, e tudo o que continuo fazendo com as meninas que constroem esse movimento.
Me sinto absolutamente honrada em saber que mulheres vítimas de abusos confiaram em nós, e fico comovida em ver como foram corajosas o suficiente para denunciar.
E me sinto extremamente orgulhosa por ter me jogado na linha de frente e estar lá fazendo algo por elas.
Não foi algo que planejei, não foi algo que fiz porque queria algo em troca.
Foi algo que fiz porque achava certo, porque era o que eu deveria fazer, não porque alguém me disse, não porque a moral me mandava, mas porque EU sabia que era certo e era o que eu TINHA que fazer.
Hoje olho para esses momentos e vejo o tipo de pessoa que sou, e eu tenho muito orgulho.


Esse mês recebemos a notícia que o nosso Coletivo foi indicado ao Prêmio Cláudia.
Uma premiação exclusivamente feminina, em que brasileiras notáveis são indicadas.
O nosso coletivo nasceu da união de 14 garotas, nós fomos indicadas à categoria Revelação, um prêmio para jovens mulheres com feitos notáveis.
Nossas representantes são a Mariana e a Dianne e a votação é do público.
Ganhando o Prêmio ou não, todas nós e nossas convidadas estaremos na cerimônia de premiação no mês que vem.
Queria compartilhar isso, não por mim, mas pelo trabalho que o Genis tem feito.
Pelo apoio às vítimas dentro da universidade, por ter criado um grupo onde as vítimas se sentem seguras para compartilhar, muitas vezes pela primeira vez seus casos de abuso, por ter se tornado uma voz de resistência das mulheres no meio universitário e principalmente por todas as vítimas que tiveram coragem de denunciar seus agressores, tiveram coragem de se abrir conosco e coragem de seguir em frente.


Eu ainda não tive tempo de compreender totalmente o fato de que estarei em uma premiação em São Paulo com minhas colegas de faculdade, em um evento com gente famosa.
Eu não tinha pensado em nada disso até ver as fotos da premiação do ano passado e perceber que é um evento de gala.
Enfim, estarei em São Paulo no mês que vem com todas as garotas com quem tive o prazer e as dores de compartilhar esses momentos intensos.
Era algo que eu queria compartilhar com todos vocês que visitam esse meu diário semanal.
Foi importante para mim e queria que todos soubessem.

Uma boa semana para todos!